Denúncias de funcionários expõem Google




MERCADO - MARKETING E COMUNICAÇÃO DIGITAIS

Números assustadores sobre assédio sexual

Nos últimos dois anos, 48 pessoas foram demitidas por assédio sexual, incluindo 13 que eram gerentes seniores ou superiores, admitiram Sundar Pichai, CEO do Google, e Eileen Naughton, vice-presidente de operações de pessoas. A informação foi publicada em um e-mail para a equipe. Nenhum desses indivíduos recebeu um pacote de saída, acrescentaram no conteúdo. A história explodiu depois que uma funcionária do Google acusou Andy Rubin, chefe do Android, de coagi-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel em 2013 [via AdAge].

Facebook: a invasão e a evasão

Foi um ano difícil para a imagem do Facebook. Vimos muitas reportagens e especiais sobre o caso de uso indevido dos dados. Variação no valor das ações (ao ponto de especularem sobre como a saída de Zuckerberg aumentar o valor dos papéis). Recentemente a plataforma também foi alvo de hackers que tiveram acesso a 29 milhões de contas. A pressão sobre a companhia veio de várias frentes. Teve muita gente internamente que não aguentou. Começou com Jan Koum, co-fundador do WhatsApp, em abril. Na sequência vieram o diretor de comunicação e políticas públicas, o principal advogado da organização, o diretor de segurança e muitos outros. São tantos os que abandonaram a empresa que a CNBC fez até uma lista. O mais recente a deixar a companhia é Brendan Iribe, ex-CEO e co-fundador da Oculus, anunciou sua saída em outubro [via Bloomberg].

Sobe, desce, muda

As pessoas leem notícias. Sem um feed para percorrer, mais pessoas vão diretamente aos sites de veículos tradicionais para obter informações. É o que revela uma reportagem do NiemanLab. O efeito é o mesmo quando o Youtube está fora do ar. Segundo o Chartbeat, uma interrupção de uma hora no YouTube em 16 de outubro, resultou em um aumento líquido de 20% no tráfego para os sites de editores. Isso estimula o retorno à questão dessas ferramentas como disseminadores potenciais de notícias falsas. O Facebook anunciou que agora é capaz de diferenciar e separar manchetes e artigos falsos [via SocialMediaToday]. Da mesma forma, a CEO do Youtube tem hoje uma missão bastante ingrata, como explica a Wired, que é evitar que a mídia se torne um repositório  de informações violentas, falsas e repleta de trolls.

Choque de gerações

Enquanto alguns dizem que a sabedoria vem com a idade, os americanos mais jovens são melhores do que os mais velhos em separar as declarações factuais das opiniões nos noticiários, de acordo com uma nova análise do Pew Research Center.

Luta pela sobrevivência

O Membership in News Fund lançou novo fundo de US$ 700.000 para ajudar organizações de notícias independentes que estão curiosas sobre como um programa de filiação pode sustentar ou apoiar operações editoriais. Aceita pedidos de organizações sem fins lucrativos, com fins lucrativos e cooperativas [via MediaPost].

Risco para a publicidade

A Procter & Gamble, um dos maiores anunciantes do mundo, registrou um crescimento orgânico de vendas de 4% no primeiro trimestre de 2019 (os analistas esperavam 1,6%), seu desempenho mais forte nos últimos cinco anos, embora a empresa tenha gasto 6% menos em marketing - o que gerou economias de US$ 130 milhões [via MarketingDive].

Para marcas

O Facebook anunciou atualizações sobre conteúdos e colaborações de marcas. Reestruturou a tag de conteúdo de empresas, mostrando um novo rótulo e mais informações contextuais para as pessoas. Além disso, está testando novas formas de denotar colaborações de marca no Facebook, como permitir que o Pages marque outras Páginas.
Por fim, expandiu o Brand Collabs Manager, com a intenção de ajudar marcas e criadores de conteúdo parceiros a se conectarem. Também começou a liberar a nova versão do Messenger [via IDGNow!].

Uma outra história americana

Dez anos depois da crise financeira, o público parece começar a entender que todo o encanto do Vale do Silício, as suas plataformas e empresas maravilhosas, na verdade, pregavam a ruptura, a disrupção mais como forma de obter nossos dados, nossa atenção, nosso tempo, nossa criatividade, nosso conteúdo, nosso DNA, nossas casas, nossas cidades, nossos relacionamentos. Um especial da Wired faz uma análise sobre este outro lado do ambiente consagrado nas últimas décadas.

 

Imagéticos e gentis

Os brasileiros definitivamente adotaram o Instagram. Segundo levantamento da consultoria Deloitte, foi o aplicativo que mais cresceu em uso diário. 37% dizem usar o app pelo menos uma hora por dia, o que representa um aumento de 9 pontos percentuais em relação à análise feita um ano antes. O segredo, ainda de acordo com a pesquisa, está no Stories. Dos 2 mil entrevistados da análise, 79% disseram que assistem a vídeos de posts ou histórias em tempo real. Outro levantamento da mesma empresa mostra que 28% dos brasileiros preferem dar os dispositivos antigos para parentes ou amigos quando compram um novo [via MobileTime].

 

Abriu

Todos os criadores de conteúdo do Youtube agora têm a disposição o recurso que permite criar uma transmissão programada. A ferramenta havia sido anunciada em junho para testes e agora pode ser utilizada por qualquer usuário [via SocialMediaToday].

 

Vídeo e grana pesada

Os gastos com publicidade em vídeo digital dos EUA ultrapassarão US$ 50 bilhões em 2022, crescendo a taxas de dois dígitos durante a maior parte do período previsto. Esses números refletem a adição pela primeira vez de gastos com publicidade nas redes sociais às nossas previsões de vídeo. Os números são da eMarketer.

 


TECNOLOGIA E EMPREENDEDORISMO

Pelo ar

O serviço de entrega de refeições do Uber, o Eats, quer substituir as entregas feitas por humanos. A proposta é, até 2021, ter drones autônomos fazendo as viagens para levar as encomendas [via Futurism). 

 

 

Mais dinheiro pra gastar

A Netflix recorreu mais uma vez a investidores para levantar US$ 2 bilhões para novas programações. Depois de recuperar de novo o fôlego com bom crescimento de assinantes, a companhia passa a acumular uma dívida de US$ 10 bilhões [via AdAge]. Soma-se a isso o crescimento de serviços gratuitos de streaming de vídeo suportados por anúncios, os chamados anti-Netflix [via Digiday].

 

 

Terapia digital

Segundo relata a MobileTime, a startup de terapia FalaFreud, disponível para Android e iOS, recebeu um aporte de R$ 2 milhões do fundo de investimentos DOMO Invest. A verba deve ser utilizada pelo criador da plataforma, Yonathan Yuri Faber, para impulsionar o crescimento  em usuários e terapeutas credenciados.

 

 

Unicorniozão

A empresa brasileira Stone estreou na bolsa norte-americana Nasdaq. A processadora de cartões de crédito viu suas ações subirem 30% e o seu valor de mercado atingir os quase US$ 9 bilhões [via Computerworld].

 

 


AGÊNCIAS

Consolidação

O processo de fusão e incorporação no universo de agências continua. Com a diferença que agora as consultorias estão nesta briga também. A Accenture Interactive anunciou a aquisição da New Content, especializada em marketing de conteúdo. O anúncio oficial foi feito por meio de um vídeo. As operações da consultoria devem se estabelecer na Vila Leopoldina, zona Oeste de São Paulo, e os sócios da New Content permanecem à frente deste tipo de oferta de serviços. Vale lembrar que, no Brasil, é a segunda aquisição da Accenture Interactive que, em 2015, divulgou a compra da agência de performance AD Dialeto. Outra aquisição anunciada foi da consultoria de TI Xebia France por parte do Publicis Groupe, reforçando as especialidades e o portfólio da Publicis.Sapient.

 

 

Troca

Marcelo Diego, ex-CEO da Máquina Cohn & Wolfe, é o mais novo contratado da FSB Comunicação. O anúncio foi feito na página do LinkedIn da companhia. Ele assumirá o vertical Corporativo da agência com a missão de fortalecer a participação da empresa no segmento de clientes privados.

 

 

Reorganização

Como parte de reavaliação de todo o seu portfólio, o WPP planeja vender parte de sua unidade de pesquisa Kantar Group, de acordo com fonte familiarizada com o processo, conta o MediaPost. A iniciativa faz parte de tornar as operações mais ágeis e reduzir as dívidas do grupo. Estima-se que a divisão da Kantar custe cerca de US$ 4,9 bilhões se vendida. O The Drum aborda a questão com profundidade.

 

 


DOWNLOADS

Olho na tela

Panorama MobileTime traz a relação do uso de smartphones por crianças no Brasil e como os pais vêm tentando controlar e filtrar os conteúdos. Para levantar os dados, conversou com 2.172 pais que têm smartphone e são responsáveis por pelo menos uma criança de 0 a 12 anos.

 

 

BlackFriday

Levantamento da SocialMiner demostra intenção e percepção dos consumidores com relação a Black Friday deste ano.

 

 


INFOGRÁFICO

Celebridades da web

Com o aumento das parcerias entre marcas e celebridades digitais, aconteceram diversas transformações nas estratégias de marketing de influência, percepções de consumidores e hábitos da internet. O Mundo do Marketing preparou um infográfico para destacar as principais mudanças. 

 

 


Rapidinhas...

… ou o que andamos lendo!

  • O perfil da audiência de podcasts no Brasil;
  • Reino Unido multa Facebook em 500 mil libras;
  • Facebook adiciona músicas ao Stories;
  • Itália multa Apple e Samsung por obsolescência programada;
  • Startup ajuda a encontrar emprego quando o seu for substituído por robô;
  • Telefonia 5G vai injetar US$ 3 tri na economia nos próximos 15 anos;
  • Festival ABP premia trabalhos e profissionais de destaque em 2018;
  • Tim Cook, da Apple, explode o Vale do Silício sobre questões de privacidade;
  • WhatsApp terá botão para “figurinhas”;
  • Twitter cria página direcionada a programas de TV.